ANCP participou do Workshop Uso da tecnologia Genômica a favor da pecuária, em Ribeirão Preto
Quinta, 05 de dez de 2019


 

Nos dias 18 e 19 de novembro, os professores Raysildo Lôbo e Fernando Baldi, respectivamente presidente e diretor de Pesquisas e Inovação da ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores), participaram do 1º Workshop Uso da tecnologia Genômica a favor da pecuária, evento promovido pela Zoetis em parceria com a Illumina, em Ribeirão Preto (SP).

O evento, que reuniu cerca de 40 participantes, entre especialistas, pesquisadores, representantes da indústria e de associações, abordou temas como predição de desempenho, seleção de animais com assertividade, exploração das características para melhor aproveitamento no sistema de produção, incremento de produtividade e aumento da qualidade do produto, entre outros assuntos.

Na última década, a tecnologia genômica se tornou realidade entre os pecuaristas como uma ferramenta indispensável para auxiliá-los na melhora dos seus rebanhos, no aumento da produtividade e eficiência reprodutiva, assim como no aumento da lucratividade do seu sistema de produção.

Fernando Baldi, que também é professor doutor do Departamento de Zootecnia da Unesp de Jaboticabal, foi um dos palestrantes do evento. Ele falou sobre os principais resultados com o uso da genômica no Brasil em gado de corte, apresentando resultados das pesquisas da ANCP para melhorar a qualidade da carne, a eficiência alimentar e o progresso genético das características.

Baldi lembra que, em 2010, quando a genotipagem começou a ser usada no Brasil, havia muito pessimismo sobre quanto ela iria contribuir. “Passados quase dez anos, não há dúvidas sobre as vantagens do uso da genômica – ganho na acurácia da avaliação genética, rapidez na identificação e seleção de animais e avaliação de características que não são comumente examinadas em programas de melhoramento de gado de corte”, destaca.

O pesquisador ainda explica que é possível selecionar indivíduos de alto potencial genético em rebanhos pequenos, médios e grandes. “Os animais podem ser fêmeas de alto valor genético para serem mães de touros ou mesmo touros que sejam impactantes na raça e possam ser incluídos em centrais de inseminação”, finaliza.

Ainda dentro da programação, um painel que reuniu representantes de vários programas de melhoramento genético discutiu as alternativas para melhorar e aumentar as opções de seleção genômica no Brasil.